2020 Agosto,  A voz da contracapa,  Papa Livros

Papa Livros – O que andámos a ler em Agosto 2020?

Férias merecidas, Descanso desejado e Leituras em dia!

A sinopse diz-nos que Júlia abandona a sua vida em Portugal e parte para a Tailândia sem bilhete de volta. Mas o livro é bem mais do que isso…Primeiro, digo bravo. É uma história que prende desde a primeira página e vivemos momentos que não conseguimos parar. Houve momentos que dei por mim a avançar mais de 150 páginas e de repente, já eram duas da manhã. É uma história de autoconhecimento, de coragem. Revemo-nos nesta vontade mas quantos têm coragem de abandonar tudo para se descobrirem, para aprenderem a estar sozinhos, a aceitarem a sua existência, a fazerem uma pausa para decidirem o caminho que querem construir no futuro. Apesar de achar que algumas vezes estamos a viver sempre os mesmos dilemas, principalmente em momentos mais instrospectivos, penso que a ideia da autora é vivermos os pensamentos de Júlia e que surgem em catadupa. Muitas vezes, andamos em círculo e não conseguimos sair de uma determinada realidade que nos oprime, nos seca. Este livro oferece-nos um respeito pela diferença, a aceitação do outro. Não só por falar da realidade homossexual nalgumas páginas bem como na atitude de abertura para outras culturas, outras realidades e como viajar nos traz isto tudo.Por último, tiro o chapéu à autora, pois recupera o hábito de enviarmos cartas. É maravilhoso. Ah, e o amor. A página 179 para guardar.
É um bom livro para esta época. Fresco na escrita, corajoso na narrativa e surpreendente no desfecho.

Interrompo aqui uma pausa entre um mergulho para vos dizer que não sei como demorei tanto tempo a voltar a ler a escritora Dulce Maria Cardoso. Acabei num dia e meio este livro, O Retorno. É simplesmente sublime. Na voz de um adolescente, conhecemos um período importante da história de Portugal e o drama dos “retornados”. É escrito de uma forma clara por alguém que domina a escrita. Cada palavra está pejada de sentido. Dulce, que mestria. Se puderem corram a comprar ou a requisitar numa biblioteca não se vão arrepender. Sem dúvida, um dos melhores livros que li este ano.

Este foi o meu primeiro livro da Tânia como escritora, mas penso que já li muitos livros traduzidos por esta escritora que também é tradutora. Adorei. Revi-me em muitas das situações e sobretudo a história envolve-nos de uma forma, que nao conseguimos parar. A felicidade está nos pormenores e sem dúvida, este livro era um pormenor que faltava na minha biblioteca.

Stephen King da qual não sou fã dos livros que escreve, tenho de lhe transmitir um obrigada pela lição que partilha neste livro sobre o seu ofício. Fala de bons e maus livros. A importância da narrativa, a magia de uma descrição e a mestria de um diálogo. Realmente, aqui se percebe o engenho, o talento e o trabalho.

Descubra mais conteúdos Desculpasparaler nas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *