A voz da contracapa,  Leituras do mundo

5 Desculpas para Viajar com Isabel Allende

Aproveitámos o Festival LeV – literatura em viagem, que decorre entre 13 a 17 de maio, para viajarmos para 22 destinos, o que é o mesmo que ler 22 autores. O primeiro destino é Isabel Allende.

Escritora peruana, viveu no Chile entre 1945 e 1975, com mais de 57 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, obras traduzidas em 37 países, 31 prêmios e distinções literárias internacionais de literatura, Isabel Allende é uma autora que oferece livros a todos. A todos os perfis e a todas as necessidades. Diria que é um excelente autor para começar ou recomeçar a ler. Saiba as desculpas para a LeV como desculpa:

  • 1ª Desculpa – Para quem gosta de ler na língua espanhola ou está a iniciar o estudo de espanhol

Lembro-me que li o primeiro livro de Isabel Allende quando inicie de uma forma profissional o estudo de espanhol. Na época, não existiam muitos livros editados em Portugal. Decidi começar pelo livro Eva Luna e foi assim que descobri como é bom lermos na língua de origem. Todas as palavras ganham ritmo e sabor.

Alguns dos livros que já li da autora Isabel Allende.
  • 2ª Desculpa – Para os que gostam de relatos intimistas e na 1ª pessoa

Isabel Allende partilha em tom de confidência e de desabafo, a história da família em «Paula», um relato autobiográfico sobre o período de doença da sua filha, que levou à sua morte. Uma história de vida bem real.

O contexto histórico e político de um Chile atribulado misturado com o papel da sua família na história daquele país, aparece no «O meu país inventado», onde está bem presente os valores da Pátria e a sua ausência e um amor nostálgico pelo passado.

  • 3ª Desculpa – Para os que uma boa história tem de estar baseada em factos históricos

Aqui a escrita de Isabel Allende é vasta, rica e absorve-nos de um fôlego da primeira à última página. Nos romances históricos da escritora, temos desde a saga da família de proprietários latino-americanos na «A Casa dos Espíritos», passando pela história de Diego de La Vega, mais conhecido por «Zorro»; viajando até à Califórnia no período da descoberta do ouro no século XIX, acompanhando a personagem Eliza Sommers em «Filha da Fortuna» e reencontrando algumas destas personagens dos romances anteriores, no «Retrato a sépia», onde o Chile de finais do século XIX serve de cenário.

  • 4ª Desculpa – Para os que gostam de histórias fortes, comoventes e arrebatadoras…

«De amor e de sombra» foi o segundo romance de Isabel Allende, traz-nos paixão, traição e subversão e a coragem e dever de lutar pela justiça e verdade. . Consegue trazer-nos tragédia e comoção.

Para quem gosta de uma boa história familiar, «O Plano Infinito» dá espaço à saga de duas famílias na Califórnia do século XX, Allende, onde a imigração, pobreza e violência fazem parte deste regresso ao passado.

O universo da droga tem espaço no «O Caderno de Maya», num romance sensual e romântico, no qual um caderno escreve a história de vida. Aprendemos com o passado e há espaço para construir um futuro.

  • 5ª Desculpa – Para os mais jovens que já gostam do sabor das lendas

Allende oferece-nos uma trilogia que conta as aventuras de uma avó e de um neto na Amazônia na «A Cidade dos Deuses Selvagens», nos Himalaias, «O Reino do Dragão de Ouro» e em África no «O Bosque dos Pigmeus».

Mais informações:

Uma entrevista a Isabel Allende sobre livros e literatura.

  • Conheça a programação completa do LeV — Literatura em Viagem 2020, de 13 a 17 de maio, em streaming. Aceda ao programa completo em PDF neste link: 

https://drive.google.com/…/1S1nHYgJI51h7aaIIS2TOpv5yQ…/view…

  • Assista às sessões em direto, na página de Facebook da Câmara Municipal de Matosinhos: 

facebook.com/CamaraMunicipalMatosinhos/

Descubra mais conteúdos Desculpasparaler nas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *