A voz da contracapa,  Crianças, dedo no ar!,  Geração não, vai ler!,  Os livros têm opinião

A caixa mágica de livros

No Dia da Biblioteca Escolar damos importância a esta caixa de livros, na educação e na promoção do gosto pela leitura. Sim, caixa de livros, a palavra biblioteca encerra toda a magia do momento: Biblioteca (vem do grego, composto por biblion — “livro”, e theca — “depósito”, “caixa”).

Grandes Histórias Mãos Pequenas lança o mote, ora vejam:

No mês internacional das bibliotecas escolares, o tema está lançado: descobrir caminhos para a saúde e bem-estar com a biblioteca escolar. E quando pensamos em bem-estar, pensamos num todo. Pensamos em olhar para dentro. E é aí que nos apercebemos que a nossa cabeça é como o céu. Por vezes está azul e sem nuvens. Mas também pode estar nublada e escura.

“A tua cabeça é como o céu”, escrito por Bronwen Ballard e ilustrado por Laura Carlin, leva-nos numa viagem pelo céu das nossas cabeças, faça chuva ou faça sol. Os pensamentos, que vão e vêm podem trazer nuvens escuras e tempestuosas. Podemos entrar dentro das nuvens e remexê-las, podemos até tentar lutar com elas ou fingir que nem sequer estão lá. Mas também podemos procurar as nuvens brancas e fofinhas como algodão que pairam no mesmo céu. Se olharmos o céu como um todo, o que vemos?

É o momento de parar, refletir, olhar para dentro. Mas como chegamos até lá, se tivermos o coração aos pulos, ou se estivermos tão nervosos que não conseguimos dormir?

A cabeça não pára de pensar, pensar e pensar… É preciso aprender a respirar. Sim, eu sei, todos sabemos respirar, afinal, já o fazemos quando nascemos. Mas, já alguma vez pararam para ver como o fazem? É isso que “Respira” de Inês Castel-Branco nos propõe. Uma história que nos revela o diálogo entre uma mãe e um filho e uma série de exercícios que nos ensinam a desligar e a inspirar e expirar… tranquilamente. Tão tranquilamente, que só se poderá seguir uma boa noite.

O Desculpas para Ler remata:

Recentemente, Alberto Manguel, o escritor e ensaísta bibliófilo, anunciou a doação da sua biblioteca à Câmara Municipal de Lisboa. São 40 mil volumes que irão dar origem ao futuro Centro de Estudos da História da Leitura, do qual será diretor. Embebidos nesta magia, sugerimos a leitura do seu livro «A Biblioteca à Noite», recomendado pelo Plano Nacional de Leitura e editado pela Tinta da China, conta-nos tudo o que sabe sobre a história, o fascínio e os enigmas das bibliotecas.

Viajando para um universo fantástico, sugerimos vencedor do prestigiado World Fantasy Award, «A Biblioteca» de Zoran Zivkovic, editado pela Cavalo de Ferro, que reúne seis histórias fantásticas relacionadas com a experiência do livro e da leitura, navegando por um ambiente que relembra Kafka, Umberto Eco e até Jorge Luis Borges.

A importância de cultivar a leitura desde a infância e a importância do acesso à multiplicidade de títulos disponíveis numa biblioteca, que nos permite encontrar o nosso livro, o nosso género e descobrir o leitor que há em nós, o romance best seller do Sunday Times, «A Bibliotecária» de Salley Vickers, editado pela Cultura Editora, demonstra o poder da literatura e das bibliotecas.

Por último, deixamos uma sugestão de uma série documental de 5 episódios, disponível na RTP Play, «Onde os livros são o mundo», que conta a importância das bibliotecas itinerantes muito originais e dos seus bibliotecários improváveis.

https://www.rtp.pt/programa/tv/p39082

Boas conversas, boas leituras.

Descubra mais conteúdos Desculpasparaler nas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *